A mulher ideal no Estado Novo

    1888

    Mas, se calhar, não temos consciência de quão vasta e profunda era a propaganda machista. De como e em cada conto, história, notícia, havia uma mensagem prevalecente: o lugar da mulher é em casa, na cozinha, a tratar do lar e dos filhos, submissa, complementando e ajudando o homem. O principal veículo desta educação era a mocidade portuguesa e, no caso das mulheres, a revista “Menina e Moça” (podem encontrar imagens representativas aqui).

    Ler artigo completo ...

    1
    2
    3
    4
    5
    6
    7
    8
    Partilhar
    Artigo anteriorAs escolhas que definem uma vida
    Próximo artigoE a preta sou eu?
    Capazes é uma Associação Feminista que tem como objectivo promover a igualdade de género.