A mulher ideal no Estado Novo

    1719

    Quando falamos de igualdade de género ou da luta feminista para esta venha a ser uma realidade plena em Portugal, partimos de um pressuposto fundamental: o de que vivemos, ainda, numa sociedade culturalmente machista. É porque partimos, ainda, de um pressuposto de desigualdade – na nossa cultura, na nossa educação, na nossa sociedade – que a igualdade de género ainda precisa de “luta” (felizmente pacífica, simbólica, através da educação, do debate, da mudança de mentalidades). Se as nossas leis já não são, manifestamente, machistas, o mesmo não podemos dizer de muitas e variadas instâncias e instituições sociais. Porque, como sabemos, é mais fácil, e rápido, mudar a lei. Difícil, e lento, é mudar hábitos, tradições, culturas, mentalidades.

    Ler artigo completo ...

    1
    2
    3
    4
    5
    6
    7
    8
    Partilhar
    Artigo anteriorAs escolhas que definem uma vida
    Próximo artigoE a preta sou eu?
    Capazes é uma Associação Feminista que tem como objectivo promover a igualdade de género.