Reflexões sobre o desemprego durante a Pandemia

740
5- Ter um emprego, umas tantas vezes, não obedece à lógica do mérito.
Há infinitas contingências que podem, em incontáveis ocasiões, possibilitar a empregabilidade de uma pessoa, sem que isto nada tenha a ver com merecimento.
No caso da Pandemia, acrescente-se mais um fator externo a provocar a perda de atividade remunerada de uma pessoa, que não sua pretensa ausência de capacidade.
Faz-se necessário, portanto, lembrar da falseabilidade do pressuposto em que muitos que se encontram nesta situação podem cair: “Estou desempregado por falta de competência e mérito”.
Sabemos que só sairemos da Pandemia com a vacina e com esforços coletivos para evitar a proliferação da contaminação. É ao coletivo que se dirige a convocação, também, da solidariedade para aqueles duplamente atingidos pelo novo coronavírus. Além do isolamento social, a aflição do desemprego e tudo aquilo que isto desencadeia.
Acrescentemos – ao kit da máscara e álcool em gel – cápsulas de empatia e ações práticas para podermos ajudar a recuperação de todos aqueles que sofrem as sequelas e os estragos multicapilares da Covid-19.
Porque o tempo de quem está sem emprego é o tempo da urgência!