Há sempre qualquer coisa

2535

Chateava-me correr e sentir que tudo abanava, que toda a gente estava a olhar para o meu traseiro gordo e flácido a saltitar, ansioso por fugir da prisão das calças de licra. Culpava-me pelo amor de comer, pelo fraquinho por doces,  por cada visita à fast food.

Ler artigo completo ...