ELA: O GRANDE BALDE DE ÁGUA FRIA por Manuela Goucha Soares

778

Três meses depois, a 28 de fevereiro de 2014, a Bárbara escreveu:

“Último dia do mês de fevereiro. Passaram-se apenas 3 meses desde o diagnóstico da Mãe e parece que foi ontem. Todo o tempo que posso passar com a minha Mãe é pouco, e o tempo voa! Sinto-me paralisada, em suspenso, como se o tempo tivesse parado totalmente e eu estivesse a olhar para a vida à minha volta… Os outros continuam e eu sinto-me como se todos ignorassem aquilo que nos está a acontecer, sinto-me como se ninguém soubesse, pior ainda, sinto que ninguém está a passar pela mesma tragédia que nós… que sorte têm todos os outros por esta desgraça não lhes estar a acontecer!

Ler artigo completo ...