COMO SE ENSINAM OS VALORES, ÀS CRIANÇAS? por Magda Dias

738

 

 

“Perderam-se os valores todos” ouve-se em todo o lado.

 

“É importante repensarmos os nossos valores” ouvimos com frequência.

 

E sempre que oiço isto fico com a sensação que “falam, falam e não dizem nada…”

 

Com os pais com quem trabalho, pergunto-lhes com frequência quem serão os seus filhos, aos 23 anos. Certezas ninguém as tem, mas é frequente definirem os miúdos com adjectivos que envolvem valores. Serão jovens que se respeitam e respeitam os outros, felizes e justos. E a seguir pergunto o que é que fazem, todos os dias, para que os filhos caminhem nesse sentido.

E, muitos pais, fazem uma pausa nesse momento.

 

Em concreto, o que fazem?

Não pensamos os nossos valores, mesmo dizendo, em voz alta, que é absolutamente necessário fazê-lo.

 

Ao contrário do que possas pensar, não precisas de ter nenhuma conversa com o teu filho, nem de lhe dar uma aula. Precisas sim de viver os teus valores, todos os dias.

 

Queremos filhos que se respeitem? Comecemos por nós. Comecemos a aprender a escutar a nossa voz interior e também a ser mais assertivos.

 

Queremos filhos que respeitem os outros? Vamos dar o exemplo. O “se faz favor”, o dar a vez sempre que possível, escutar as pessoas até ao fim, não interromper, falar com serenidade e respeito.

 

Queremos filhos que tenham uma consciência ecológica? Vamos promovê-la todos os dias. Triar o lixo, comprar a granel em vez de em embalagens, usar os transportes públicos, comer menos carne vermelha [cuja produção é considerada das formas maiores de poluição].

 

Queremos filhos que sejam altruístas? Participemos com eles em actividades de solidariedade, de forma regular.

 

Queremos filhos que se encantem com a vida? Que possamos mostrar-lhes os prazeres da vida através dos amigos, das tradições, dos novos sabores que experimentam, indo ver uma peça de teatro, escutando música juntos, contando histórias e colocando uma intenção em tudo aquilo que fazemos.

 

Queremos filhos generosos? Sejamos generosos em casa, dando-nos em afectos, em mimos bons e atentos.

 

Queremos filhos gratos e que saibam dar valor ao que têm? Passemos a dar, efectivamente, valor ao que temos. Que sejamos capazes de dizer não à abundância material para sabermos aproveitar exactamente o que já temos.

 

Queremos filhos que saibam gerir as suas frustrações? Saibamos que isso faz parte da vida e que não temos de os salvar sempre. Lê este post, por exemplo.

 

Queremos filhos que saibam regular as suas emoções e que se saibam exprimir? Vamos começar em casa, sempre que nos desentendermos. Ensina o teu filho a lidar com os conflitos com o irmão e aprende tu a gerir os teus, também.

 

Viver e pensar os valores é isto. Tão simples quanto isto. E tudo isto traz ainda mais significado à nossa vida porque se torna palpável e se vive!

 

 

Magda Dias é autora do blogue Mum’s the boss e do livro Crianças Felizes: O guia para aperfeiçoar a autoridade dos pais e a auto-estima dos filhos. Tem uma profissão de desgaste rápido – é mãe de duas crianças e todas as semanas está na Praça, programa da RTP, enquanto especialista parental.