PINTURA

331

 

THE RULES 6 THE RULES 7 THE RULES 8

 

 

GRAÇA MARTINS

Graça Martins nasceu em Vila do Conde nos anos 50. Reside nas Casas Atelier do Porto e Esmoriz/praia. Licenciatura em Design/Artes Gráficas pela Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto. Curso de Design de calçado pela escola de Milão/Itália, Ars Utória. Começou a expor em 1977 em Porto e Lisboa, em conjunto com a pintora e poeta Isabel de Sá. Em 1990 foi-lhe atribuído o 1ºPrémio de Desenho a nível Nacional na Comemoração do Bicentenário do Lápis, Árvore e patrocínio Viarco (a única fábrica de lápis portuguesa). Professora na Escola Secundária Artística de Soares dos Reis. Representada no Acervo de Serralves, Porto. Algumas exposições: 2004 “Sleeping Beauty”, Galeria São Mamede, Lisboa. Palavras da crítica de arte Laura Castro “A obra de Graça Martins dá visibilidade aos fenómenos da feminilidade, não de um ponto de vista da diferença absoluta – impondo  o biomorfismo exclusivo do feminino, peças viscerais e orgânicas, quase iconoclastas, por não admitirem imagens da mulher habitualmente aceites; nem de um ponto de vista de anulação dessa diferença – sugerindo que nada há na mulher que verdadeiramente a distinga do homem (o que leva a caricaturas ridículas); mas de um ponto de vista complexo que visa analisar como se atingiu, e como se mantém, um arquétipo de feminino absolutamente artificial e que só perversamente se diz decorrer da “natureza”. Ou seja, a sua obra visa debater como se ofuscou qualquer alternativa a esta receita. (…) O seu trabalho prefere as figurações aparentemente Soft e inofensivas, onde a face do feminino se adequa, em grande parte, à imagética socialmente normalizada. A sua representação visual do mundo urbano feminino engloba a representação social desse mundo, particularmente das adolescentes como indicia o título “Urban Teenagers”, motor desta problemática.” 2014 – 10 Registos na Figuração Contemporânea – Fundação José Rodrigues, Porto. Palavras da crítica de Arte Laura Castro “Há certamente política no debate acerca da construção cultural dos géneros feminino e masculino de Graça Martins, em remissão constante ao Simbolismo de matriz poética e pictórica que lhe serve de morada para as representações do corpo e dos sentimentos”. Em 2013 foi a responsável da imagem (projeção de trabalhos seus, fotografia e pintura) para o programa Quintas de Leitura (Teatro do Campo Alegre, Porto) Escritora convidada – Maria Teresa Horta e apresentação de Ana Luísa Amaral.