Festival Pé na Terra

233

Vénus é o planeta do amor e da feminilidade, é o segundo planeta do sistema solar, é o planeta mais próximo da TERRA!

O seu nome é uma ode à deusa romana do amor e da beleza: Vénus, também conhecida como Afrodite… depois da Lua é o objeto mais brilhante do céu noturno e pode ser visto a olho nu.

O Festival Pé na Terra em 2019 convida-o a colocar o Pé em Vénus e descobrir toda a poesia que esta temática tem para oferecer.

Nesta edição, prestamos homenagem às mulheres, à expressão no feminino.

Por curiosidade, este é o 7 sétimo ano consecutivo, que o PNT tem na sua direcção e produção, mulheres!

Queremos ser uma voz ativa e mostrar o trabalho artístico de mulheres nos nossos palcos e actividades, daí a nossa programação assentar nestes princípios, sobre o universo artístico feminino, com respeito pelas diferenças e pela eterna busca da igualdade.

Programação:
13 de Junho 
Roberta Espinosa
Negras Autoras

14 de Junho
Se o Fado Virasse Samba
Nazaré Pereira

15 de Junho 
Tati Veras
Samba que elas querem

16 de Junho
Sopa de Pedra
Mart’Nália
Nosso Som

Mart’Nália
Filha de Martinho da Vila, segue a descrição do próprio pai:

É uma mistura de Martinho, eu, com Anália sua mãe que já viajou para um lugar melhor, creio.

Tinália, a Tina, a Martina, a Carvu, parece ser despojada, mas é valiosa; dá a impressão de ser uma pessoa desligada, mas está sintonizada em tudo que acontece, principalmente no mundo da música e como todos os grandes artistas, é sonhadora.

A “Sonora Mart’nália”, como algumas pessoas se referem a ela, é musicista, cantora e compositora e está entre as artistas mais completas que eu conheço.

Tem 07 discos gravados e 02 DVDs: 
— MART’NÁLIA, LP – 1987
— MINHA CARA, CD – 1997
— PÉ DO MEU SAMBA, CD – 2002
— MART’NÁLIA AO VIVO, CD – 2004
— MART’NÁLIA AO VIVO, DVD – 2005
— MENINO DO RIO, CD – 2005
— MART’NÁLIA AO VIVO EM BERLIM – CD/DVD – 2006
— MADRUGADA- CD – 2008
— AO VIVO EM ÀFRICA – 2010

Estes três últimos já lançados em Portugal e o último está para ser lançado nos Estados Unidos e toda a Europa.

Que cantora!… O seu canto é doce, negro, suingado e o seu timbre é especial.

Tem corpo de dança para qualquer ritmo e gosta de dançar, toca violão e é percussionista de quase todos os instrumentos de ritmo.

Compositora popular, é parceira e membro da Ala de Compositores da E.S.Unidos de Vila Isabel.

Deus te abençoe, Mart’nália.

Martinho da Vila,
o pai coruja, janeiro 2005.

Se o Fado virasse Samba
Projecto por Teresinha Landeiro e Camila Masiso
Teresinha representa a mais nova geração do fada e Camila Masiso a nova geração da Música Popular Brasileira, juntaram –se em Lisboa e nasceu esta homenagem. Juntas unem pontos de convergência entre o fado e o samba, considerando as peculiaridades de cada género e mostram as sinergias da sua união.

Roberta Espinosa
Ampliando o horizonte da nova e da moderna MPB.  No mesmo samba, consegue juntar jazz, ciranda, funk e ijexá, e assim nasce o som tão prórpio de Roberta Espinosa. O seu repertório é democrático. Vai da bossa-nova ao samba-funk numa  fusão de sonoridades múltiplas.Cantora, compositora, é já presença habitual do palco Pé na Terra. Este ano lança o seu recente trabalho “Tá fazendo falta”.

Tati Veras
Desde 1998 que é vocalista do ‘Raiz do Sana’, um dos mais conceituados grupos de forró Brasil. Recentemente lançou a sua carreira a solo, vontade que nasceu de estar ainda mais presente nos palcos, fazendo o que ama. Mesmo já cantando numa banda  com muitos espectáculos. Tati quis um trabalho paralelo. Vem apresentar-nos “Tati a Veras”

Negras Autoras 
O Coletivo Negras Autoras é formado por  cinco artistas negras de Minas Gerais com o propósito de apresentar composições e destacar o trabalho e a presença da mulher negra na sociedade. Atualmente, o coletivo é composto por Elisa de Sena, Júlia Tizumba, Manu Ranilla, Nath Rodrigues e Vi Coelho.

Nazaré Pereira
Nazaré canta as músicas de grande autoria do Norte e Nordeste do Brasil, como Xapuri do Amazonas, dedicado a sua mãe, um clássico da sua cidade, Belém. Uma atenção particular Nazaré que tem para as crianças, dedicando-lhes muitas canções de sucesso. A Cantora traz a força do carimbó, aliado a outros ritmos como maracatu, xaxado e baião.

Samba que Elas Querem
É uma roda  de samba organizada por mulheres musiquistas que nasceu do desejo de protagonizar
 o sexo feminino no cenário do samba. É um movimento de motivação e representação feminina dentro da música e nossa roda pretende ser um espaço de respeito em que todas as mulheres possam se sentir parte integrante.

Sopa de Pedra
É um grupo de 10 mulheres que criam e interpretam à capella arranjos originiais da música popular portuguesa. O repertório inclui sobretudo música de transmissão oral das várias regiões portuguesas, estendendo-se dos cânticos mirandeses de Trás-os-Montes às baladas açorianas, das cantigas de adufeiras da Beira Baixa ao Cante alentejano, passando também pelo repertório de cantautores como Zeca Afonso, Amélia Muge, João Lóio ou grupos como Almanaque e GAC.

 O Nosso Som

Nosso Som é uma banda formada em Portugal que toca Forró por brasileiros e portugueses.

+FESTIVAL – Outras actividades e acções
Ponha os pés e a cabeça nisto
Workshop Dança
Maracatu por Tenily Guian e Tati Silva
Forró por Marília Cervi
Samba por Camila Delphim
Raba Power por Flora Mariah
Forró por Lina Bergen
Dança dos Afectos e Massagem de Grupo por Vanda Melo
Forró por Mariana Brasil
Frevo por Flaira Ferro
Dança Afro-brasileira por Aline Valentim
Kizomba e Funana por Marta Miranda Napassada

WORKSHOP DECORREM NO CINEMA TOPÁZIO 
O cinema Topazio na Fuseta será um dos novos pontos de apoio para nossas atividades, um espaço agradável e acessível

PÉZINHOS NA TERRA!
Programa dedicado a famílias com crianças.
Nos últimos anos tem sido um objective ter uma programação especialmente pensada para as crianças que participam no nosso festival.  São crianças que a partir dos dois anos que também elas enriquecem cada edição do Pé na Terra.  Para esta edição, resolvemos dar continuidade e pomos em prática através do Pezinhos na Terra.

Voluntariado
“A Associação Danças da Terra é responsável pelo Festival Pé na Terra desenvolveu um Programa de Voluntariado do Festival Pé na Terra para as áreas de produção, património, comunicação, bilheteira, backstage e apoios aos workshops.
O Programa de Voluntariado dá a oportunidade em contribuírem para o bom andamento e desenvolvimento do festival, de viverem experiências gratificantes que os fortaleçam enquanto cidadãos e profissionais e de criarem laços de amizade com outros voluntários.”

“LUA VERMELHA”
Espaço dedicado a todas as iniciativas de desenvolvimento cultural e social, tais como, palestras, cursos, workshops, debates, performances e quaisquer  outras atividades que celebram o feminino.

Ecologia  – Pé na Terra pelo Ambiente
O Pé na Terra pela sua preocupação com o meio-ambiente, em todas as edições tem utilizado copos ecológicos. Cada copo será vendido a 1,50€ que pode torna-se uma lembrança do festival devido à personalização de cada edição.

É uma pequena medida que acreditamos que juntos marcamos a diferença.

Partilhar
Artigo anteriorHá sempre qualquer coisa
Próximo artigoSandra, Helena e Lara
Capazes é uma Associação Feminista que tem como objectivo promover a igualdade de género.